Ícone e referência do jornalismo, Fafá é um dos profissionais mais queridos e respeitados do setor.

O quadro Histórias de Vida, criado pelo portal Conexão Três Pontas, tem o objetivo de homenagear em vida, pessoas de todas as classes sociais, profissões, funções ou perfis, que tenham se destacado por trabalhos relevantes ou simples, por exemplos deixados ao longo dos anos, por um legado de amizades e respeito. E hoje estamos, merecidamente, homenageando, contando um pouco da história do Jornalista Rafael Mesquita Rocha, o Fafá, querido por todos.

Vida Pessoal

Rafael Mesquita Rocha nasceu na cidade de Campo do Meio, em 5 de novembro de 1939. “O Senhor da Imprensa Trespontana”, como foi chamado em uma reportagem por mim, jornalista Roger Campos, durante o período em que trabalhei no Jornal Tribuna de Três Pontas, mais precisamente no dia 17 de junho de 2000, é filho de José Gabriel da Rocha e Elisa Rabelo de Mesquita.

Conhecido carinhosamente como Fafá, casou-se com Marluce Alves Campos Rocha, uma relação de muito amor e respeito que gerou quatro filhos: Rafaela, Mariela, Ulisses e Annyela. É avô cinco vezes: Bruna, Luana, Paula, Gael e Francisco.

Vida Profissional

Ainda na cidade de Campo do Meio, começou sua vida estudantil nas Escolas Reunidas de Campo do Meio. Com a morte de seu pai, sua mãe, então com nove crianças, se mudou para Três Pontas. Fafá conseguiu uma bolsa de estudos através da ajuda de seu primo, o Monsenhor José Rabelo de Mesquita, no Colégio Salesiano de São João del-Rei, onde concluiu o exame de admissão da época, onde ali assassinava os serviços de alto-falantes.

Confecção do primeiro jornal.

O amor pelo jornalismo, fez com que, ao chegar novamente em Três Pontas, iniciasse o curso ginasial do colégio São Luís. Na sequência, seguiu para Belo Horizonte para fazer um antigo curso clássico, onde aprendeu português, latim e francês e assim foi aflorando a sua paixão pela escrita jornalística.

Assessoria de Imprensa Prefeitura de Três Pontas.

Fafá é parte da História da Imprensa

Apresentou programas na inesquecível Rádio Clube de Três Pontas, de onde surgiu ali uma amizade duradoura com o senhor Haroldo de Souza Figueiredo, onde brotaria muitas parcerias jornalísticas.

Cobertura da reportagem sobre a nascente do Rio São Francisco.

Rafael Mesquita Rocha e a imprensa escrita, os jornais impressos, têm histórias que se cruzam ao longo dos anos. Até hoje, Três Pontas teve 46 jornais impressos. A maioria tinha circulação semanal, 4 páginas, pequenos formatos e tiragens que, apesar da inexistência de dados mais precisos, não atingiam, em média, mil exemplares por edição. A maioria também não sobreviveu por muito tempo. Alguns, no entanto, voltaram a circular mais tarde em novas fases. Muitos desapareceram sem muitas explicações, enquanto outros se despediram prestando contas.

Formatura em Belo Horizonte

A vocação para a comunicação despertou o interesse de veículos da capital mineira, surgindo então um convite para trabalhar no jornal Diário de Minas e depois no Jornal dos Esportes no final dos anos 60.

Ao lado de Haroldo de Souza Figueiredo lançou o primeiro shopping news da cidade de Três Pontas, chamado “Terra do Ouro Verde”, no ano de 1964, que era distribuído para os frequentadores do Cine Ouro Verde.

Entre os anos de 1964 e 1965 o jornal “Terra do Ouro Verde” chegava aos seus leitores, com um formato de semanário de 4 páginas e tamanho pequeno, com uma tiragem de 1.500 exemplares e, pela primeira vez, com distribuição gratuita. É considerado a continuação de dois outros jornais editados anteriormente (“O Mundo na Tela” e “Cine Ouro Verde”).

Cobertura da entrega Medalha da Inconfidência, em Ouro Preto ao humorista Zacarias, lendário mineiro de Os Trapalhões.

Nos anos 70 começou a escrever para diversos veículos, como a Revista dos Municípios Mineiros, O Cruzeiro, Jornal o Globo e Estado de Minas.

Ao longo dos seus 51 anos no jornalismo, criou ou editor informativos como Pólo Sul, Jornal da Câmara, Município de Três Pontas, Jornal da Cocatrel, Tribuna de Três Pontas, Jornal da Unicoop, Jornal do TOC, entre outros.

Durante mais de 40 anos foi o responsável pelo Jornal Vanguarda de Boa Esperança, Voz Diocesana e o jornal da Paróquia Nossa Senhora d’Ajuda. Tanto a assessoria de imprensa da Prefeitura quanto da Câmara foram criadas por Rafael Mesquita Rocha.

Ex-deputado Sérgio Naya, que era majoritário em Três Pontas e que ajudou muitas famílias carentes, além da Apae e Hospital, lendo o jornal Polo Sul, escrito por Fafá. Também na foto o saudoso comunicador José Sebastião Deofino e o ex-vereador José Yvo.

 

Reconhecimento Merecido

Como forma de reconhecimento pelos seus relevantes serviços prestados à cidade de Três Pontas, Rafael Mesquita Rocha recebeu o Título de Cidadão Honorário Trespontano, no dia 01º de junho de 1991, obtendo aprovação unânime de todos os vereadores. E em 30 de agosto de 2010 recebeu uma Moção de Aplausos e Congratulações pela Câmara de Vereadores.

Recebendo o Título de Cidadão Honorário Trespontano das mãos do ex-vereador José Darcy.

“Uma das pessoas mais queridas da cidade de Três Pontas. Um jornalista espetacular, talentoso, experiente, sério, honrado e que sempre fez a diferença, sempre fez do jornalismo uma ferramenta de informação e um instrumento de inclusão. Admirado pelos jornalistas mais novos, é um espelho, uma inspiração inesgotável de como ser jornalista com ética, responsabilidade, paixão e honestidade. Assim é Rafael Mesquita Rocha, ou simplesmente Fafá!”

Conexão Três Pontas

Numa das muitas entrevistas com a saudosa amiga, ex-prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade.

Aposentadoria e Sabedoria

Hoje aposentado, no auge dos seus 82 anos o jornalista Fafá definiu como poucos, com sabedoria e profundidade, o que é fazer o verdadeiro jornalismo:

“É preciso trabalhar duro, sempre com verdade, imparcialidade e dedicação. O jornalismo é como um sacerdócio. Me alegro em saber que ‘entreguei’ a imprensa para excelentes profissionais que mostram muita qualidade e respeito a profissão. Ainda acredito que a imprensa é o quarto poder do mundo! O jornalismo para mim é um vício, minha vida foi um jornalismo constante… A gente gosta enquanto pode, esquece quando é preciso e aprendi que só vale a pena lutar por aquilo que amamos… Assim eu fiz!”

Testemunhos sobre Fafá

“Fafá é uma pessoa extremamente gentil, capaz, exigente, uma pessoa que talvez pela idade, pela ignorância de muitos, possa estar passado. Erro dessas pessoas. Fafá segue atual e fundamental! Ele faz muita falta na ativa, faz parte da nossa história, faz parte de Três Pontas e da região com brilhantismo. Uma pessoa ímpar, de quem eu gosto muito.”

Colunista Social Maurinho Bueno

“Fafá é um verdadeiro ícone da comunicação em Três Pontas. Além de excelente pessoa e caráter, é um profissional que faz muita falta, um desbravador. Muito da imprensa escrita começou com ele ou se aprimorou com ele. Uma pessoa educada, de muita respeitabilidade. Um grande marco da comunicação em Três Pontas.”

Professor João Victor Mendes

“O meu pai sempre foi pra mim um exemplo. Uma referência de dedicação, responsabilidade e resiliência. Nunca vi meu pai alterar sua voz ou brigar com alguém. Quando fecho os olhos e penso nele, só consigo me lembrar de momentos que me reportam a sentimentos de orgulho e alegria em tê-lo comigo, aos 82 anos com tanta saúde, lucidez e retidão. Tenho-lhe um amor infinito e uma gratidão por todas as lições e parcerias de sempre!”

Filha Rafaela Campos Rocha, em nome dos familiares

“Por todo legado, toda vida exemplar, dedicada aos familiares, aos amigos e ao bom e velho Jornalismo; pela fala mansa, jeito sereno e sinceridade; pela excelência em tudo que fez e ainda por conseguir algo quase impossível: ser unanimidade, ser querido e admirado por todos, finalmente por ser uma das inspirações deste jornalista que assina esta homenagem, Rafael Mesquita Rocha, merecidamente é hoje e em vida homenageado pelo Conexão Três Pontas que contou com muito carinho sua bela História de Vida! Parabéns!!!”

Jornalista Roger Campos

Com o saudoso colunista social Paulo Marinho.
Cobertura do evento de lançamento do livro A História de Três Pontas, com Francisco Sebastião da Silva, o editor do livro.

INDIQUE PERSONAGENS PARA CONTARMOS INSPIRADORAS HISTÓRIAS DE VIDA

Se você conhece alguém, não importa idade, credo ou profissão, que tenha uma vida pautada pela ética, pelo trabalho, pela honestidade e acima de tudo pela amizade, por fazer o bem sem olhar a quem, entre em contato com nossa reportagem pelo tel/whats (35) 9 9975-4248 ou pelo e-mail conexaotrespontas@hotmail.com e nos ajude a homenagear, em vida, quem merece.

#conexãotrêspontas #notícia #opinião #comentando #polêmica #jornalismo #informação #comportamento #fato #pandemiacoronavirus #rogercampos #minasgerais #suldeminas #Conexão #reportagem #notícias #Covid19 #distanciamentosocial #instagram #twitter #saúde #educação #política #economia #governofederal #trêspontas #historiasdevida #boasnotícias #trânsito #policial  #cultura #esporte #suldeminas #social #solidariedade #meioambiente #mulher #criança #religião #Deus

12729255_119502638436882_132470154276352212_n

Roger Campos

Jornalista

MTB 09816

#doadorsemfronteiras

Seja Doador de Médicos sem Fronteiras

0800 941 0808

OFERECIMENTO

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *